Um blog sobre o mercado imobiliário de Chapecó

Onde especialistas dão dicas para comprar, vender e alugar com inteligência

#PlazaResponde: Quais os custos envolvidos na compra de um imóvel?

#PlazaResponde: Quais os custos envolvidos na compra de um imóvel?

A compra de um imóvel é um momento muito importante e grandioso, que depende de muito planejamento. Além de decidir o lugar onde morar, o tipo de imóvel e o valor a ser investido, é preciso estar atento aos custos totais dessa aquisição. 

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, não é apenas o valor do imóvel que se deve  calcular, e sim, os custos com taxas, tributos e impostos que são necessários para a  regularização do imóvel e das transações a serem feitas. 

Nesse artigo, juntamos os 5 principais gastos que são gerados na aquisição do imóvel.  Continue lendo e garanta um planejamento completo e uma compra segura, sem riscos e sem  imprevistos. 

1. ITBI

O ITBI é um imposto municipal obrigatório. Ele é cobrado pelas prefeituras ao comprador do  imóvel. 

A importância do pagamento desse imposto se deve ao fato de que ele regulariza a situação  do imóvel junto aos órgãos públicos e essa regularização garante ao comprador o acesso a  serviços básicos, como água, luz, asfalto, entre outros. 

Importante lembrar também que o pagamento do tributo libera as documentações  necessárias no processo de compra do imóvel. 

Sendo ele uma taxa municipal, seu valor pode alternar de acordo com a alíquota de cada  cidade, que varia entre 2% e 3%. O cálculo é feito sobre o valor de mercado do imóvel  adquirido e, sendo assim, o tipo do imóvel, localização, tamanho e outros fatores, influenciam  no valor a ser pago. 

Outro fator que influencia no valor da alíquota a ser paga é a forma de pagamento escolhida,  imóveis vinculados a programas de subsídio tem desconto no valor do imposto, por exemplo. 

Quanto ao responsável pelo pagamento não há lei específica, mas o mais comum é que o  comprador pague essa taxa e, em caso de permuta, cada parte paga a taxa de sua respectiva  propriedade.

Para saber o valor de ITBI do seu imóvel, basta conferir o carnê do IPTU e fazer o cálculo de  forma própria ou no site da prefeitura do imóvel a ser adquirido. 

2. Registro do Imóvel

Registrar o imóvel no cartório é essencial

Exigido por Lei, o registro do imóvel é uma etapa um pouco mais burocrática, mas essencial, já  que, por meio dele, é realizada a formalização da nova titularidade do bem junto ao Cartório  de Registro de Imóveis. 

Ou seja, a partir do registro, o imóvel passa a ficar em nome do novo  comprador. 

Para realizar o registro, é necessário levar a escritura do imóvel ao cartório e iniciar o processo.  Os documentos são analisados e, em cerca de 30 dias, a matrícula do imóvel é atualizada e a  propriedade, efetivamente, transferida. 

O valor a ser pago nesta etapa, assim como o ITBI, pode variar e é calculado por meio de uma  alíquota que incide sobre o valor total do imóvel. Essa alíquota é informada pelo Cartório de  Registro de Imóveis do município em questão. 

Lembramos aqui que apenas o contrato de compra e venda não é suficiente para a  transferência do imóvel. Ele formaliza o negócio realizado, mas é a partir do registro que se  assegura a propriedade. 

3. Valor da Entrada

Ao comprar um imóvel de forma parcelada ou por meio de financiamento bancário, é comum  que o vendedor exija um valor de entrada ou sinal, que pode demandar um grande aporte. 

Esse valor é negociado entre as partes integrantes da negociação e é estabelecido  contratualmente. De forma geral, o valor de entrada é pago em parcela única mas, em certos  casos, é passível de negociação. 

Essa etapa pode ser considerada uma garantia para o vendedor, uma segurança financeira, em  caso de desistência por parte do comprador, além de assegurar a conclusão do projeto  imobiliário como um todo. 

4. Gastos com mudança

Gastos com mudança devem ser levados em conta

Tendo em vista que grande parte dos imóveis são negociados sem mobília, esse é um custo  que deve ser levado em consideração. Então anote essa dica no seu caderno de planejamento! 

É preciso calcular o valor do transporte e montagem dos móveis, que pode variar de acordo  com o serviço e empresa contratados. 

Nesses casos, é importante fazer uma pesquisa ou conversar com pessoas próximas que  possam indicar pessoas ou empresas de confiança. Afinal, seus bens são valiosos e não podem  ser extraviados ou quebrados. 

5. Custos com corretagem

Quando o processo de compra e venda é intermediado por imobiliária ou profissional  autônomo, o corretor está presente durante toda a negociação, desde a visita, proposta, até a  entrega das chaves. Em razão disso, é paga uma taxa de comissão a ele. 

Esse é um valor que também depende do imóvel, já que, geralmente, é cobrada uma  porcentagem sobre o bem, que varia entre 3% a 8%. 

Essa taxa também está prevista no  contrato, bem como é definido qual das partes pagará esse valor. Lembrando que, em regra, é  o vendedor quem realiza o pagamento ao corretor de imóveis. 

Agora você já sabe! O planejamento de compra de um imóvel não gira apenas no valor total do  imóvel. Esteja atento às taxas principais e não tenha surpresas desagradáveis que possam  estragar esse momento tão especial da sua vida! 

Para te ajudar a gerenciar e orientar da melhor forma, conte com a Plaza Imóveis. Além do seu  imóvel, cuidamos de você, garantindo seu bem-estar e segurança na realização do seu sonho!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *